Siqueira Campos Associados
INFORMATIVO BIMESTRAL DA SIQUEIRA CAMPOS ASSOCIADOS
Janeiro de 2009 - Ano III - N.º 07
 
Confira nesta edição:
ícone-excel Planilha em Excel para simulação do experimento das contas vermelhas de Deming   Vídeo: treinamento Seis Sigma da Cisco

Métricas - o princípio SMART

Indicadores resultantes e direcionadores

ícone-excel Planilha em Excel para cálculo do nível sigma  
 

Voz do Cliente

"Aulas dinâmicas e interativas, conteúdo do curso alinhado às necessidades das atividades realizadas no trabalho, material completo."

Cynthia Rachel Niedhardt Capella
Aluna do treinamento Técnicas Estatísticas para
Monitoramento de Processos, no Unibanco

 

Animação em Flash para divulgar o treinamento interno de Seis Sigma - Cisco Systems.

Animação em Flash feita pela Cisco Systems para promover internamente o treinamento de Seis Sigma.

Clique na figura acima para assistir
ao vídeo no You Tube.

Confira as edições anteriores!
 
News 04 - Julho de 2008
News 05 - Setembro de 2008
News 06 - Outubro de 2008
 
 

Métricas - o princípio SMART

 

O desenvolvimento de boas métricas é sempre um bom desafio. Selecionar a métrica apropriada é o aspecto mais crítico na implantação de um sistema de desempenho gerencial. Um princípio orientador bastante utilizado na definição de métricas é o principio SMART, um acronismo desenvolvido nos EUA com bastante aplicação prática.

No desenvolvimento das métricas elas deveriam ser "espertas", seguindo o princípio SMART:

S - Específicas (Specific). Devem ser claras e focadas evitando má interpretação.

M - Mensurável (Measurable). Permitindo que você possa coletar dados de forma precisa e completa.

A - Acionável (Actionable). Para que a métrica tenha valor ela necessita ser acionável. Ela dever ter influencia sobre a saída. Métricas que não temos controle não são boas métricas.

R - Relevante (Relevant). A métrica necessita ser estrategicamente relevante para a organização, alguém se importa com ela.

T - Oportuna no tempo (Timely). A informação deve ser disponível para que possa habilitar a ação de forma imediata.

Para termos uma visão mais prática entre uma métrica adequada e inadequada segue a tabela abaixo:


Tabela - exemplos de métricas adequadas e inadequadas, de acordo com o princípio SMART.

Conheça nossos treinamentos sobre Seis Sigma

 

Indicadores resultantes e direcionadores

 

Atualmente, em empresas das mais diversas áreas, é comum o uso de indicadores chave de desempenho (ou do inglês Key Performance Indicator - KPI), que medem o nível de desempenho do processo e indicam se os objetivos estratégicos estão sendo alcançados.

Porém, frequentemente percebe-se que alguns conceitos de indicadores (ou métricas de desempenho) estão sendo confundidos ou interpretados de forma inadequada, o que dificulta o desdobramento desses indicadores para a organização. Consequentemente, esta confusão faz com que o gerenciamento da organização torne-se cada vez mais difícil.

Os indicadores permitem que uma empresa possa obter informações importantes para a eficiência do processo, no entanto deve-se tomar cuidado quando se tratar de medições estratégicas, uma vez que uma escolha inadequada poderá levar a resultados errôneos.

As seguintes definições são importantes para o correto desdobramento dos indicadores:

Indicadores de acompanhamento ou resultantes (Lagging Indicators) - indicadores de resultado que são as saídas chaves do processo. Refletem um efeito do processo. Estes indicadores são mais utilizados no âmbito gerencial, uma vez que são ligados diretamente aos objetivos estratégicos e são medidas de desempenho que permitirão verificar a implementação das estratégias.

Indicadores de tendência ou direcionadores (Leading Indicators) - indicadores chaves de desempenho que mostram um "estado futuro". Estão ligados aos fatores críticos de sucesso e demonstram tendências e causas presumidas do efeito, permitindo ações pró-ativas, além de subsidiar os indicadores resultantes. Refletem uma ou mais causas do efeito, sendo mais utilizados em nível operacional.

Na tabela abaixo podemos ver alguns exemplos de indicadores resultantes e direcionadores.

tabela-resultantes-direcionadores.gif

Também é comum encontrar um indicador resultante que esteja associado com mais de um indicador direcionador, como no exemplo abaixo.

tabela-resultante-direcionadores.gif

Tanto os indicadores resultantes quanto os direcionadores são importantes para a concretização dos objetivos estratégicos da organização. Indicadores direcionadores são monitorados operacionalmente, de forma que se possa agir no processo a fim de melhorar os indicadores resultantes.

Treinamento em destaque:

Indicadores de desempenho do processo

Capacita os alunos para a elaboração de indicadores de desempenho organizacional, avaliação crítica dos indicadores já existentes e acompanhamento dos mesmos.

"Conhecer a praticidade de aplicação
do conteúdo do curso no acompanhamento
e estruturação dos indicadores."


Somaia Gasel Khodr Bundchen
Assistente de Coordenação da SPOA
Ministério da Fazenda - DF

Boletim Causa & Efeito
Destaques da edição 23 (em breve!)

tópico-azul-quadrado Perspectiva de crescimento
da economia brasileira em 2009

tópico-azul-quadrado Reduzindo custos inteligentemente

Siqueira Campos Associados
Siqueira Campos Associados
www.siqueiracampos.com
www.seissigma.com.br
Fone: 0800 7030603